1.4.12

Música


É tudo música.

A porta batendo na raiva, com choro, com grito

O telefone que toca, com a mensagem confortante

e as palavras sussurradas, disfarçadas...

É então que se da à memória a melodia pra lembrar

o ritmo dos passos descendo a escada correndo

com a pressa de chegar, se tocar, se abraçar...

É tudo música.

Uns acordes juntos, pausas, notas, claves

É música também, mas essa música da vida

feita do som da respiração ofegante,

do barulho dos beijos ardentes, e quentes, molhados

do grunhido, do murmúrio

 Essa sim é a música que se forma...

Sons de mim, sons de ti

de corpos, de mentes, de olhos

ruídos de pele roçando, esquentando

barulhos de unhas que arranham,

arfando, mordendo, lambendo...

É tudo música.

Os pés sorrateiros,

as risadas baixinhas,

os toques das mãos ...

É tudo música

As vezes, quase imperceptível,

mas ainda assim, quando nenhum som se pode ouvir,

ainda assim, há música.

Sempre, é tudo música.



L.M.

01/04/12

Nenhum comentário: