17.3.09





Quisera.
Quisera ser uma folha.
Quisera ser uma folha em um dia de outono.
Dar piruetas como bailarina, voar livre como pássaro.
Dançar ao compasso da música fria, que toca o vento.
Bailar sem rumo nem sanidade...
E cair.
Cair sem vontade, sem destino...
E esperar o próximo outono chegar...

4.3.09




Supristes minha alma. Meu desejo. Agradeço por ter sido, não só meu, mas ainda assim, ter sido... E tendo sido, continua sendo. E sendo, sempre será. E mesmo que tudo passe, tudo mude, ainda assim, dentro de mim, há de continuar existindo tudo que tu fostes.
Encravei tua voz no meu peito e não há quem possa apagar. Te tatuei na alma, com sangue, com sorrisos, e agora, corre em minhas próprias veias. Ainda que tentes fugir, enganar-me, já não o podes fazer. Te tenho em meus pulmões, em cada passo. Preenchestes o vácuo deixado. E apenas agradeço-te por faze-lo, e faze-lo bem. Encanta-me como perfurastes meu próprio coração, e mais ainda, como já não sei nem viver sem...


" Procura-se um amigo que saiba conversar sobre coisas simples, para não se enlouquecer e para contar o que se viu de belo e de triste durante o dia. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar, para não se viver debruçado no passado em busca de memória."