20.12.08


Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.





Então é natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é natal, e o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E entao é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa ...


E o que a gente fez?






















Feliz Natal! Pra criança deixada na rua...
Noite Feliz! Praquele que não tem o que comer!
Feliz Natal! Pro pai desempregado...
Noite sem paz! Praquele que a morte veio ver!
Uma noite de paz! Uma noite...






14.12.08




Já sentiu raiva? Aquela raiva que sobe e parece que te da fôlego e vontade de aparecer em rede nacional e dizer "Vocês estão absurdamente errados!". Foi essa tal raiva que me comeu as entranhas e estalou nos dedos, acabando numa revista dobrada e jogada num canto.
Eu lia a revista do jornal, hobby, passatempo, mania. Atrevo-me a dizer, vício. Quando deparei-me com duas matérias sobre livros. Tal foi a empolgação que me demorei mais do que devia em cada linha, consumindo cada letra, cada palavra. O Crepúsculo que pareceu enfim, atraente. Talvez mais o filme que o livro, ou talvez não... O segundo livro pareceu ser "O diário da princesa". Sorri com a foto do livro, mas os personagens ao lado da foto me pareceram demasiadamente diferentes de tudo que já li. Foi quando meus olhos encontraram o texto... E lá dizia... Espere que não me recordo de cabeça. Preciso pegar a revista, tocar naquelas páginas imundas. E antes fosse pela tinta da impressão. Enfim, assim relatava a coluna:
"O caso de Gossip Girl e de sua autora é bem parecido com o de Meg Cabot" - Nesse momento proferi qualquer coisa como "O Quê?!".
Dizia a reportagem que assim como o livro de Meg virou filme, Gossip Girl também estava chegando as telinhas, como seriado.
Mas quem raios pode dizer que o caso é parecido?
1° - O diário da Princesa [Filme] NÃO é a história do livro. É um filme baseado no livro. Ninguém leu o livro e o transformou em filme, muito menos em série.
2° - A Disney matou o pobre livro que só possuia suas longas linhas e folhas para argumentar. E sem ser ouvido, submeteu-se a um trágico resumo.
3° - Jamais o livro de Meg Cabot poderia ser comparado com o de Cecily Von Ziegesar. Primeiro porque as duas tem visões muito diferentes. "O Diário da Princesa não é mais um besteirol americano que conta como é dificil ser loira, linda, rica e ter tudo que se quer menos o amor da sua vida.

A raiva passou. Creio que foi o banho, ou talvez tenha sido a música. Ou quem sabe tenha sido Capitu, Dom Casmurro, José Dias, Escobar e todos os outros que me fizeram companhia depois de meu coração falhar por uma ou duas vezes com tal reportagem. Não que ele tenha falhado mesmo, mas tive essa sensação.

Ps: Obrigado por Dom Casmurro, Machado de Assis.

30.11.08



"Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer
O inimigo invencível
Negar
Quando a regra é vender
Sofrer
A tortura implacável
Romper
A incabível prisão
Voar
Num limite improvável
Tocar
O inacessível chão(...)"

A dificuldade de lutar pela vida nos da a idéia de que é mais fácil desistir... Tantos foram os erros, dores e feridas que marcaram as tentativas para não cair... E numa incrível antítese, nós lutamos arduamente pela paz, lutamos pra ter um amor e, quando ele surge, não o queremos mais. Procuramos afeto, vontade e disposição, mas nem sempre achamos isso tudo no nosso próprio coração. Passa-se a procurar, olhar, sofrer. Quando o necessário está tão perto de você. Paradoxo. Fundir os pés na grama alta enquanto o vento grita do sul. Sentir a brisa, úmida, gelada e observar o longo e distante céu azul... Na letra de música ver a mente voar, um abraço, um carinho, tudo que nos possa incentivar. Uma lágrima viva pra restaurar a emoção. Uma vontade perdida que dói mais que uma paixão. Uma morte enfim, pra no final, ser mais feliz...

26.11.08




"A partir de amanhã
Eu vou discutir
Da próxima vez
Eu vou questionar
Na segunda eu começo a agir
Só mais duas horas
Pra eu decidir..."

Final de ano chega e sempre vem junto as milhões de promessas de novas atitudes e não aceitação de tudo. A determinação e a vontade de fazer uma coisa diferente. De fato, tudo isso é meio verdade. Afinal, as vontades chegam e dominam tudo, o único problema é o tempo. Porque o tempo passa rápido demais e a nossa empolgação vai embora junto. Toda aquela expectativa de seguir adiante com novas idéias e novos rumos, vai ficar pro próximo ano. Porém, já que estamos só no começo dessa fase, vamos aproveitar.
Novos amores, amigos, confidentes, segredistas. Tudo do bom e do melhor. E nada mais de contar pra aquele tipo de menina que você comprou um casaco novo, porque ela comprou cinco. Nem de ser totalmente fofa, meiga e carinhosa, pra não causar mal entendido. Também não pode ser muito desligada e nem ai pra ninguém, porque pode acabar afastando todos.
Não esquecendo dos presentes e dos cartões. Das lembrancinhas, dos cumprimentos, dos scraps, e-mails, e até recadinhos na geladeira. E temos sempre que desejar um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. Como todo ano.
Enfim, vamos viver mais um fim de ano quase reciclado do ano passado. Todas as mesmas atitudes e todos com o "espírito natalino"(que eu prefiro chamar de obrigação social) fluindo em suas veias. Mais um ano sendo consumidores loucos e compartilhando a ceia do dia 25 e 31 com todos aqueles que nós amamos. Ou talvez não...

"Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga
Tenha, more, gaste e viva..."

24.11.08



Mais um ano se passou
E nem sequer ouvi falar seu nome, a lua e eu
Caminhando pela estrada
Eu olho em volta e só vejo pegadas
Mas não são as suas eu sei,
Eu sei, eu sei
O vento faz eu lembrar você
As folhas caem mortas como eu
Quando olho no espelho
Estou ficando velho e acabado
Procuro encontrar
não sei onde está você
Você você....
o Vento faz eu lembrar você
As folhas caem mortas como eu...
A lua e eu...

Só mesmo pra marcar... Porque essa música me lembra muita coisa...

9.11.08


Cheiro de asfalto molhado...

Perseguição. É a única palavra que eu acho pra definir o que aconteceu nos últimos dias. Chovendo sempre, aquela chuvinha fina... E sempre que eu passava na rua indo pra casa depois do curso, aquele cheiro forte de asfalto molhado. "Oh grande coisa. Dãr". Ta, agora vem a parte esquisita. Cada vez que eu sinto cheiro de chuva e asfalto eu lembro de TANTA coisa. A casa em que eu morava com a vó. As tardinhas brincando no quintal e caindo com o copo de vidro cheinho de pessego no chão. Lembro da cadeirinha de madeira que ficava na sala. Da minha mesinha na cozinha. Lembro do moedor de carne! Lembro da toalha molhada da Hello Kitty em cima da cama da mãe. Do ar condicionado. Da janela da sala. Lembro do corredor e da portinha que ia pra casa da tia Lúcia, minha babá.
Depois as memórias se apagam e rotomam em um ponto esquisito da vida... No sítio em xerém, com as amigas, amigos, conhecidos... Dos banhos de piscina debaixo de chuva forte e do toboágua super forte pelas gotas d'agua. Da piscina que ficou sem reflexo pela neblina da chuva.
Lembro da viagem com os amigos e da sala, do jogo de mímica. Lembro que quase morri nas pedras em búzios depois de escorregar muito feio. Lembro de correr em volta da casa e das fotos no quintal. Lembro da rua das Pedras e da carmem miranda que não dançava. Lembro do paintball que não rolou e das conversas aleatóreas na pizzaria.
Então, lembro de cabo frio, e do sofá, e da chuva de granizo. Lembro do banho de piscina que acabou pela chuva e a mãe gritando pra eu entrar. Lembro do mergulho sem perder o fôlego e da mangueira que limpava a piscina prendendo no pé. Do cheiro de maresia na praia, do chinelo cheio de areia. Da conversa mais supreendente, da vontade mais maluca. Das fotos que só ficaram na memória. Lembro... Lembro...
Afinal, acho que é assim mesmo... A gente tem as melhores sensações quando não espera e os melhores sentimentos quando não se planeja. Talvez, seja isso que nos faz diferentes e mais, ou menos, sensíveis. Talvez seja isso a vida. Então... vamos vivendo...

28.10.08














Talvez...
Tenha sido um sonho e nada mais,
Mas eu fiquei assim.
Talvez...
O seu sorriso não me deixe em paz,
Você ficou em mim...

A inspiração que me falta, preenche o vazio da mente num paradoxo intuitivo e satisfeito.

"(...) Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-iris. Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco. Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.(...)"

Aristóteles Onassis

Talvez essa vida vá passando...

3.10.08




Não é todo dia que se acorda inspirado. E hoje não foi exceção. Na verdade, a inspiração brotou ontem, lá pela meia noite, ou quase uma da manhã. E aqui eu deixo o resultado...


Ouvindo a música Tema.

Correr a mão pelo papel
dizer tudo que meu coração sente
Poder só soltar todo ar que eu seguro
e gritar de raiva, explodir
sem precisar rimar
ou me preocupar com o próximo verso
ou se vai haver outra estrofe
Na verdade, creio que falte o fim
ou talvez tenha me enganado no começo
e tenha que voltar tudo
pra reencontrar o que não achei...
Parece que falta um pedaço
e sinto o peito rachado
As palavras, ditas, escorrem pela
rachadura... E se perdem
E porque raios isso é tão importante?
Talvez não seja...
Talvez apenas
falte um pedaço ou tenha só
um buraco
a mais.
Tudo que o meu coração diz.
L.M.

Nem tudo que se fala
fala a todos que escutam
E nem todos que escutam
querem saber aquilo que
o seu coração diz...




A gente também sangra em lágrimas...
E chora em vermelho...



L.M.





















Cada gota
De lágrima teve história,
motivo, ou vontade
e nem todas fizeram sentido
Cada gota
De sangue incolor
correu pela pele
molhou colos, molhou bancos
até ruas solitárias
e encharcou travisseiros
Cada gota
De parte do meu ser
se fez parte de algo mais
e caindo se espalhou
escorregando para qualquer canto
sem qualquer condição
de controle ou guia
Cada gota
De olhos teimosos que temiam chorar
ignorou o pedido e quebrou
a barreira da seriedade
e escorreu grossa e com força
sem se importar
com o pobre coração
Cada gota
De promessas em vão
marcou o rosto
esquecendo do pedido
e da revolta de não chorar
Cada gota
Cada gota
Cada gota
Gota.
Completou a vida
abriu feridas, curou o peito
doeu no coração
Mas apesar de tudo
Cada gota
Cada gota
Cada gota
Me deu uma incrivel e diferente emoção

L.M.

Just It

23.9.08


"Can't take my eyes off of you...

I love you baby, if it's quite alright
I need you baby to warm the lonely nights
I love you baby, trust in me when I say okay
oh pretty baby, don't let me down, I pray
oh pretty baby, now that I've found you, stay
and let me love you, oh baby, let me love you, oh baby..."


Oh that's it.
Feeling so sweet and so sour.

De fato eu senti como se a minha vida fosse uma caixinha e a tivessem pego e virado de cabeça pra baixo. A pior parte é que além de uma confusão total, eu aceitei isso. Fiquei horrorosamente mal. Chorei horrores, quis sumir. Pensei até em ficar doente pra não ter que sair de casa. Alias... exatamente o contrário. Sair de casa. Ir prum hospital cool e ficar lá curtindo soro e som. E quem sabe uma visitinha ou outra. Ou ainda, só as torradinhas com chá que eles dão quando você fica internado. Até que me falaram "como" eu sou. Aquelas conclusões que todo mundo tira de todo mundo o tempo todo. Até eu mesma.
Foi a gota d'agua. Eu peguei a minha caixinha, com toda delicadeza de um elefante, e coloquei do jeito certo. Dessa vez com uma etiqueta escrito "Este lado para cima. Cuidado! Frágil". E ai de quem vier se meter. Peguei toda aquela tristeza besta e taquei fora. De uma vez só. Nada daquela enrolação de que "com o tempo passa e mimimi". Com o tempo pras cucuias.
Enfim, hoje eu me sinto Livre, Leve e Solta. Loira e Powerfull. E nada vai me tirar isso...

"Você tá sempre indo e vindo, tudo bem
Dessa vez eu já vesti minha armadura
E mesmo que nada funcione
Eu estarei de pé, de queixo erguido
Depois você me vê vermelha e acha graça
Mas eu não ficaria bem na sua estante

Tô aproveitando cada segundo
Antes que isso aqui vire uma tragédia..."

18.9.08


De fato eu abandonei um pouco isso aqui...
Em todo caso... Só passando pra deixar tudo bem resumido porque se eu for contar, não vai caber...

E só posso dizer que eu sinto algo entre a Felicidade Plena e a Tristeza Mórbida...

20.8.08





"É, você impregnou na minha carne, nos meus sonhos
E agora não tem volta
Eu preciso te viver."

Tudo tem um lado bom e um lado ruim. Não como o Yin Yang. Mas tudo tem, no mínimo, dois ângulos. Claro que nem sempre se acha o ângulo perfeito, mas procuramos, como dizer, o menos pior.
Meio chato isso, mas que podemos fazer? O pior de tudo é quando você começa a se apegar as pessoas e nota que nada esta acontecendo como você imaginou que fosse aocntecer. Dai você procura um ângulo bom, tenta tirar uma lição, mas só consegue ver aquela velha história de que nem todo mundo vai considerar o que você sente ou faz por elas. Algumas pessoas vão simplesmente ignorar até o fato de que te conhecem.
Sabendo disto, eu fiz uma "reciclagem". E cheguei a conclusão de que eu vou olhar o lado que mais me deixe animada. Mesmo que eu não possa dizer exatamente para essas pessoas tudo que ronda a minha mente, porém eu descobri uma maneira sutil de dizer tudo. E veja só, não é que deu certo?
Afinal, dizer as coisas de uma maneira generalizada da certo mesmo. Poder falar tudo que fica entalado na garganta sem precisar dizer como se fosse uma "acusação" é tranqüilizante.
Decidido. EU vou continuar do jeitinho que estou e fazer como a minha mãe diz, "deixa rolar"... Porque não há o que fazer quando o seu problema é também a sua solução...

13.8.08





And I'd give up forever to touch you

E eu desistiria da eternidade para te tocar
'Cause I know that you feel me somehow
Pois eu sei que você me sente de alguma maneira
You're the closest to heaven that I'll ever be
Você é o mais próximo do paraíso que eu estarei
And I don't want to go home right now
E eu não quero ir para casa agora...

Eu desistiria de muita coisa só por isso. Desistiria sim. Na verdade, eu ando abrindo mão de várias coisas por isso. E com certeza o que me deixa mais calma é quando eu não quero ir para casa. Quando tudo que eu preciso é poder continuar ali, sem julgamentos, sem preocupações, sem saudades.

And all I can taste is this moment
E tudo que posso provar é este momento
And all I can breathe is your life
E tudo que posso respirar é a sua vida
And sooner or later it's over
E cedo ou tarde isto acaba
I just don't want to miss you tonight
Eu só não quero ficar sem você essa noite

E tudo que eu consigo sentir é isso. E tudo que eu respiro é isso. E com certeza parece que vai acabar. Na verdade, eu achava que havia acabado, mas só estava começando. E eu não quero ficar sem isso. Porque sempre que fico só com meus pensamentos e devaneios, nunca acaba bem.


And I don't want the world to see me
E eu não quero que o mundo me veja
'Cause I don't think they'd understand
Porque eu não acho que eles entenderiam
When everything's made to be broken
Quando tudo é feito para não durar
I just want you to know who I am
Eu só quero que você saiba quem eu sou

E eu não me abro pro mundo por puro medo. Medo de que eles não entendam e me achem estranha demais. Medo do que os meus pensamentos podem causar. E mesmo que nada dure pra sempre, eu idealizo sem culpa. E só queria ser eu mesma.


And you can't fight the tears that ain't coming
E você não pode lutar contra as lágrimas que não virão
Or the moment of truth in your lies
Ou o momento da verdade em suas mentiras
When everything feels like the movies
Quando tudo se parece como nos filmes
Yeah you bleed just to know you're alive
Sim, você sangra apenas para saber que está vivo


Não se pode lutar nem contra as lágrimas que vem. Nem contra os apertos no peito e a falta de ar. E não se pode lutar contra a sensação de confiança quando se sente a verdade na voz, no olhar e na respiração do outro.

Definitivamente, a gente não sangra apenas em vermelho. Sangra em lágrimas, por dentro, com apertos no peito. Apesar de ser torturante e deixar qualquer um tonto, isso é o que te faz sentir vivo.

Chego a conclusão de que eu vou me sentir viva ainda por muito tempo. Mesmo que doa até o fundo da alma...

9.8.08



"Há tanto que quero te contar
Há tanto que quero saber de ti,
Já podemos começar pouco a pouco
Me conte o que te trás por aqui"

Uma reviravolta. Fato. E eu aqui me condenando por ser uma nostalgica incorrigível. Sabe que no fim das contas a nostalgia acabou virando uma saudade gostosa? Ah claro, e o melhor, eu posso acabar com ela quando eu quiser. Nunca achei que ser assim traria algum benefício, e cada dia mais eu chego a conclusão de que eu preciso aprender a lutar com outras armas que não sejam o sacarmos, a indiferença, a ironia. Tá. E os sorrisinhos de canto de boca também.
Me sinto mais leve hoje. Apesar de uma noite bem esquisita e um aperto desgraçado no peito. Não que isso tenha sido insuportável. Só foi...Sufocante. E hoje, acho que estou melhor.
Julieta Venegas me faz bem. Calma, é uma cantora... E as músicas dela me fazem realmente bem. Porque não é nada fácil pra mim ficar assim, como dizer, vulnerável. Baixar a guarda porque preciso.
"Uma história tenho aqui para te entregar/ Uma história, todavia sem final". Isto é tudo que me motiva. Preciso de um final. O enredo, os personagens, as idéias, os causos, as confusões já foram feitas e estão todas gravadas. E é só fechar os olhos e assisti-las novamente. Mas me corroi por dentro pensar no final. Afinal, ele pode ser trágico demais...
Então, já que não há como saber o futuro, vou me contentar com o presente. E com as músicas da Julieta Venegas, que me fazem sorri enquanto imagino meus finais caóticos e intermináveis...

"Diga-me se tu queres andar comigo oh, oh, oh..." - Andar Conmigo - Julieta Venegas. [ sim, é conmigo porque ela é Mexicana.]

1.8.08


Meu passado me condena. De fato, eu nunca fui uma das melhores menininhas. Era aquela que não levava desaforo pra casa, brigava pra ser ouvida, não me calava com um fora e jamais deixaria que me humilhassem. Tanta "força" me fez aprender muito. É claro que 60% das pessoas não falavam comigo pura e simplesmente por não ir com a minha cara. E pra que levar a fama sem deitar na cama? Foi isso que me motivou a andar pelo desconhecido.
Não que eu fosse de todo mau. Mas não era de todo bom. Teimosa que só eu. Mas aprendi que nem tudo se conquista na pancada, e que nem tudo da pra levar no papo. Aprendi a dar a outra face algumas vezes e a ignorar certas coisas. E hoje sou assim. Ignoro tudo que me pareça desnecessário e brigo pelo que eu acredito. E acreditem, não é nem um pouco fácil. Afinal, sempre se acha pelo meio do caminho pessoas sem um tema pra viver, sem idéias fixas e na maior parte das vezes, totalmente "felizes". Zombam de tudo que você diz, acham que o amor é bobagem, que a vida é uma brincadeira de criança e que sentir saudade de quem nunca esteve perto fisicamente, é impossível.
Aprendi a lidar com essas pessoas. E posso dizer que às vezes é bom esquecer um pouco as coisas e descambar pra algum lado meio louco. Dentro das leis claro. Afinal eu já tenho 18 e não quero nem um pouco ser presa... Mas é bom voltar a realidade e poder compartilhar com as pessoas que pensam como eu, tudo o que eu gosto. E agradeço a eles por me deixarem ser parte das suas vidas. Agradeço porque me ensinaram que nem tudo na vida a gente ganha no grito, na força. E que nem sempre se deve ficar calado. Agradeço também pelos tapas e broncas que me deram. Pelos foras, pelas discussões. Agradeço também pelas noites sem dormir, pelas conversas até a madrugada, pelo sono do dia seguinte. Agradeço simplesmente por terem me ajudado e por me defenderem nesse julgamento cruel que é a vida. E principalmente, por me mostrarem que o meu passado não pode mais me condenar. Ele fez o que sou hoje, mas já não faz parte da minha vida. Mesmo que o passado não seja tão longe assim...

27.7.08


Desisto. Vou deixar essa nostalgia de lado e faze-la virar saudade. É quase impossível conviver com isso. E hoje eu me lembrei de uma da épocas mais deliciosas da minha vida e de porque é que essa nostalgia braba só acontece comigo... Quero dizer, não só comigo, mas só acontece quando eu menos preciso dela.
Já teve música tema pra sua vida? Eu já. E tenho até hoje. Sabe aquele filme, naquela cena perfeita? O casalsinho protagonista conversando num parque famosos depois dela decidir que vai sair de casa porque os pais não apoiam ela e ai começa no fundo alguma música no estilo Bee Gees, Whitney Houston, Diana Ross ou Brian McKnight. É quase isso, mas no meu caso é bem mais tragicômico. É algo como conversar com as pessoas e elas falarem "garota, vc é muito complicada!" E ai você lembra da sua música tema da 7ª série.

"Complicada e perfeitinha
Você me apareceu
Era tudo que eu queria
Estrela da sorte
Quando a noite ela surgia
Meu bem você cresceu
Meu namoro é na folhinha
Mulher de Fases..."

Fato. Essa era a música que cantavam pra mim. E hoje de manhã, voltando de Campo Grande, escutando CD, toca "Se" do Djavan.


"Prá decidir
Só dizer "sim" ou "não"
Mas você adora um "se"..."

Fato². Eu adoro um se. E essa música tem muito a ver comigo. Não, eu não estou dizendo que seja 100% eu. Mas é até engraçado ler a música completa.
"Mais fácil aprender / japonês em braile / do que você decidir / Se dá ou não..."
Estou começando a acreditar nisso. E acredite, não é a melhor sensação do mundo. Mas é uma das mais divertidas. E nessas horas eu me lembro de algumas coisas... Conselhos amigaveis de como se deve agir às vezes. E sabe de uma coisa? Eu os sigo sem sequer pensar. Aquilo que elas premeditam, eu faço tão naturalmente. Acho que é daí que vem toda essa complexidade. E quer saber? Não vai acabar tão cedo...

"Tô aproveitando cada segundo /Antes que isso aqui vire uma tragédia"

22.7.08




"Eu sei que eu devo te amar
Mas eu simplesmente não consigo"


Eu estou precisando me soltar mais. Não me perguntem porque. De fato, da uma nostalgia braba lembrar certas coisas. Mas é tão gostoso poder criar outras e faze-las idealizadas e mágicas e guarda-las na memória...

"Mas quanta coisa aconteceu e foi dita.
Qualquer mínimo detalhe era pista.
Coisas que ficaram para trás.
Coisas que você nem lembra mais."

Não consigo simplesmente esnobar e esquecer certas coisas. Os sorrisos, os motivos, as mãos, o jeito como o corpo se movia, o brilho nos olhos e as expressões... As manias... Como cada palavra soava como música...

"Quanto tempo eu irei esperar,
Para estar com você novamente?"

E o coração aperta. Grita. Se debate. E eu sorrio e dou-lhe um beslicão. Mando-lhe calar a boca porque nessa história ele não pode se meter...

"Quando a luz da manhã explode
No seu rosto, que se irradia
Eu não posso escapar
Eu te amo até o fim"

E definitivamente, eu não fui feita pra tentar entender o meu coração, meus pensamentos e nem as loucuras que acontecem comigo...

"E eu acho que eu gosto mesmo de você...
Bem do jeito que você é..."

E já que não tem outro jeito... A gente vai vivendo...

7.7.08


Nem tudo na vida tem uma explicação. Um ótimo exemplo é a nostalgia.
E pra quem acha que nostalgia é apenas uma tristezinha causada pela saudade, está enganado. A coisa é bem pior. Na verdade, a nostalgia ,que é quase uma delícia às vezes, é uma saudade de um tempo vivido, e na maior parte das vezes Idealizado e o mais bizarro: Irreal. E a nostalgia surge quando se tem a sensação de não poder mais reviver aquele momento. Mas convenhamos, não é uma delícia ficar pensando no que passou?.
Mas o que mais me chamou atenção, foi o fato de que, após inúmeros minutos pensando e conversando com as pessoas, eu pude confirmar que Nostalgia ,diga-se de passagem, doença gravissima e incurável, só tende a aumentar e nunca diminuir quando se está em contato com o que causa a dita cuja, ela Aumenta! Veja só!
Ao contrário da Saudade que tende a diminuir com o contato, e a obsessão que é quase uma necessidade fixa, a Nostalgia só aumenta e não há exatamente uam cura, só o esquecimento ou o conformismo sem os quais eu vivo tranquilamente. E pensar que todo esse tempo o que eu achei que era saudade era nostalgia...
Porém o pior ou melhor, depende da pessoa, é quando você lembra que tinha um sentimento que parecia uma saudade e você começou a achar que era um quase-amor e resolveu esquecer isso, volta com tudo e te deixa com cara de boboca. Ai meu caro e minah cara. Já era. A solução é aceitar e aprender a conviver com essas loucuras do coração...

"Hoje eu acordei me sentindo só
Me sentindo pó, igual a Jó
Hoje eu acordei me sentindo só
Meu Deus tenha dó de mim
Tô aqui sem saber pra onde ir"
Fruto Sagrado - Não quero mais acordar assim


24.6.08

Bolhas.
É assim que a vida tem sido... Uma estoura, outras...Mas sempre tem muitas que permanecem e novas que estão sempre brotando.
Comparação engraçada né? Enfim... Bolhas, bolhas...Gosto da palavra, gosto do som e gosto de vê-las.
E sempre me lembro da música deliciosa da
Colbie Caillat... Sei lá..gosto daquela coisa toda de enrugar o nariz, e os dedões dos pés...
Porque se você parar e pensar... Tem coisas que mexem com a gente mesmo de longe. Você não precisa ver, ouvir, sentir, tocar.
E se pararmos pra analizar friamente a situação o que é quase impossível quando o assunto é sentimentalismo, vamos ver que você é capaz de esquecer algumas coisas mentira.
Claro que nada fica apagado, mas sabe como é... E nessas horas de bolhas e de vida eu me lembro de uma música perfeita... E deixo aqui pra vocês ouvirem e pensarem se é ou não é perfeita...

Minha vida

Tem lugares que me lembram
Minha vida, por onde andei
As histórias, os caminhos
O destino que eu mudei...

Cenas do meu filme
Em branco e preto
Que o vento levou
E o tempo traz
Entre todos os amores
E amigos
De você me lembro mais...

Tem pessoas que a gente
Não esquece, nem se esquecer
O primeiro namorado
Uma estrela da TV
Personagens do meu livro
De memórias
Que um dia rasguei
Do meu cartaz
Entre todas as novelas
E romances
De você me lembro mais...

Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
De você, não esqueço jamais...






14.4.08


Então... é isso ai como a gente achou que ia ser Eu não poderia deixar de dizer o quanto a vida mudou...E sinceramente.... o q v6 tem a ver com isso né? =D
Eu não sei ao certo porque, mas eu ando meio que totalmentesuperhiperultramegapower nostáliga, oi.
Então... relembrando as coisas aqui que aconteceram, eu achei esse texto...E bem...ele define algumas coisas que nada tem a ver com nostalgia, mas me definem bem ;D

Ah! e ao final...Comenta vaiiii *_*

Viaje ao infinito,
mas depois retorne ao chão
sorria para seus sonhos
escute sua intuição

corra pelas montanhas
viva em castelos de nuvens
escorregue pelo céu dos sonhos
agarre tudo que pode

ande bem calmo pela rua
observe a dança das folhas
escute o que o vento diz
percorra pelas vielas

explique o que entendeu
esqueça o que perdeu
espere o que virá
viva intensamente

enfrente o universo
esteja na velocidade da luz
encontre um cometa
encare a realidade

deixe tudo perdido
para que mais tarde encontre
e acima de qualquer coisa
sorria sempre ao mundo

E quando você notar
que pdoe sentir uma dor
Ou explodir de felicidade
sinta seu coração bater...


Lady Martinez