20.12.08


Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.





Então é natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é natal, e o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E entao é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa ...


E o que a gente fez?






















Feliz Natal! Pra criança deixada na rua...
Noite Feliz! Praquele que não tem o que comer!
Feliz Natal! Pro pai desempregado...
Noite sem paz! Praquele que a morte veio ver!
Uma noite de paz! Uma noite...






14.12.08




Já sentiu raiva? Aquela raiva que sobe e parece que te da fôlego e vontade de aparecer em rede nacional e dizer "Vocês estão absurdamente errados!". Foi essa tal raiva que me comeu as entranhas e estalou nos dedos, acabando numa revista dobrada e jogada num canto.
Eu lia a revista do jornal, hobby, passatempo, mania. Atrevo-me a dizer, vício. Quando deparei-me com duas matérias sobre livros. Tal foi a empolgação que me demorei mais do que devia em cada linha, consumindo cada letra, cada palavra. O Crepúsculo que pareceu enfim, atraente. Talvez mais o filme que o livro, ou talvez não... O segundo livro pareceu ser "O diário da princesa". Sorri com a foto do livro, mas os personagens ao lado da foto me pareceram demasiadamente diferentes de tudo que já li. Foi quando meus olhos encontraram o texto... E lá dizia... Espere que não me recordo de cabeça. Preciso pegar a revista, tocar naquelas páginas imundas. E antes fosse pela tinta da impressão. Enfim, assim relatava a coluna:
"O caso de Gossip Girl e de sua autora é bem parecido com o de Meg Cabot" - Nesse momento proferi qualquer coisa como "O Quê?!".
Dizia a reportagem que assim como o livro de Meg virou filme, Gossip Girl também estava chegando as telinhas, como seriado.
Mas quem raios pode dizer que o caso é parecido?
1° - O diário da Princesa [Filme] NÃO é a história do livro. É um filme baseado no livro. Ninguém leu o livro e o transformou em filme, muito menos em série.
2° - A Disney matou o pobre livro que só possuia suas longas linhas e folhas para argumentar. E sem ser ouvido, submeteu-se a um trágico resumo.
3° - Jamais o livro de Meg Cabot poderia ser comparado com o de Cecily Von Ziegesar. Primeiro porque as duas tem visões muito diferentes. "O Diário da Princesa não é mais um besteirol americano que conta como é dificil ser loira, linda, rica e ter tudo que se quer menos o amor da sua vida.

A raiva passou. Creio que foi o banho, ou talvez tenha sido a música. Ou quem sabe tenha sido Capitu, Dom Casmurro, José Dias, Escobar e todos os outros que me fizeram companhia depois de meu coração falhar por uma ou duas vezes com tal reportagem. Não que ele tenha falhado mesmo, mas tive essa sensação.

Ps: Obrigado por Dom Casmurro, Machado de Assis.