29.3.14

A raposa da árvore


Inquietude é minha essência,
Minha graça
É meu quase aceno de longe,
Eufórico,
Com medo de se aproximar...

Tranquilidade é estar sozinha
Não ter que escolher
entre partir ou amar




Pra que tentar se prender?
Solta, liberta, desamarra
deixa fugir, se jogar,
rodopiar,
criar raízes,
e conseguir ficar...

Alma Confusa

Tanta ansiedade, falta calma
Mas não falta paz
Não falta alma

O meu eu-lírico quer se expressar
Mesmo sem saber.

É que assim,
depois de tanta dor
Desaprendeu a sofrer...