7.4.12

Centésima vez



 E você não me causa ansiedade
Sem sentimento insano, arrebatador
Sem esse desespero controlador
Só uma gostosa e bonita saudade

A voz ecoando em minha cabeça
Essa ausência toda tua, não sentida
Relembrada, o toque das mãos queridas
Mesmo que a tua imagem não me apareça

E saem os versos soltos assim
Conversam comigo, contam pra mim
E falam, falam sem nunca cansar

Concedo-te então por mais uma vez
Outro dia longe, numa insensatez
Esperando a ausência enfim acabar...


L.M.
07/04/2012

Nenhum comentário: