9.5.12

Crescendo...

Essa cara de menina, que saudade me da
Esses olhos, os brinquinhos, o sorriso
A inocência que eu tinha, que ela teve
Que insiste em tomar de volta espaço
Mas já não há mais o cativo-amado lugar
E fica só esse cheiro, só esse cheiro
de gente grande, de crescer, de saber,
de melancolia, de alma vazia, de tudo que vinha
tinha, existia, fazia e todos os outros ias
de um passado tão perfeito, do que era
Era. pretérito de nunca mais voltar...




L.M.
09/05/2012

3 comentários:

silvioafonso disse...

.


Ah, essa vontade, também me dá.
De sentar na soleira sem cho-
rar, deixar a lágrima correr e,
simplesmente soluçar.

Palhaço Poeta





.

Manuel Gomes da Silva disse...

Nina, parabens, o seu poema tá muito bom.Na vida da gente há tempo pra todas essas coisas, crescer,trabalhar,casar, ter filhos, ser feliz e parar um pouco para lembrar-mos dos fatos e dos bons instantes da nossa vida. Eu acho que ainda há espaço para a inocência na nossa vida, mas somente para as pessoas mais íntimas.

Dona dos sonhos traiçoeiros. disse...

LINDO! (: