30.5.10

Quando seu som vai embora...



Explode nos lábios a vontade minha
Em meio a suspiros, dentro do olhar
Dói no meu peito a saudade fria
Prende-se o ar só pra não chorar

E mais um dia estanca nas horas
Abafa-se o grito que quer ecoar
Gira a cabeça, o corpo implora
Some a voz ao tentar falar

Me falta coragem pra admitir
olhar nos teus olhos e te contar
Soluços e prantos me fazem sucumbir
lágrimas teimosas que insist'em rolar

Por fim eu estouro em desespero latente
Então, em silêncio, deixo o rosto molhar
Meus lábios se apertam, a boca dormente
Guarda pro sono o meu lamentar...

2 comentários:

Juh disse...

Tô cansada de dizer que gostei do que você escreve u_u"

Essa, em especial, tá mais trágica
Seria culpa da influência? Hehe

BTW, minha mania de me prender a detalhes adorou a contração do "insistem em" :3

Angela disse...

As lágrimas são as palavras oprimidas que não saíram pela boca. Elas então encontraram um jeito de serem sentidas.

x) =*